Twitter do SuperGospel Facebook do SuperGospel RSS - SuperGospel

Matérias em destaque



Retrospectiva 2015

Publicada em 31/12/2015
Redação Super Gospel

2015 está no fim. Um ano agitado, com alegrias e também muitas decepções, várias novidades ocorreram no cenário musical cristão. O Super Gospel apresenta, então, a retrospectiva de 2015.


Independentes no pódio

Fenômeno cada vez crescente, as produções independentes estão se destacando no segmento evangélico. Seja pela qualidade, por vezes superior a das grandes gravadoras, bons lançamentos autofinanciados chegaram ao mercado. O cantor Vavá Rodrigues, veterano compositor desde os tempos do Milad, lançou Raízes do Céu sem muito alarde ou divulgação. O trabalho contém as participações ilustres de João Alexandre, Carlinhos Veiga, Gladir Cabral e muitos outros e se destacou pela qualidade dos arranjos e o projeto gráfico em cordel. Outro registro experiente foi de Regina Mota. Após dez anos sem gravar, a intérprete se juntou com quatro músicos e produziu um disco ao vivo no estúdio, intitulado ...De Novo. Em entrevista ao Super Gospel, disse: "Foi difícil, claro! Era tudo novo para mim. Mas não no sentido de ser penoso ou cansativo. Pelo contrário, foi extremamente prazeroso".

Se os músicos experientes seguem com força total, as bandas influenciadas pelo novo movimento também produziram obras. A principal delas foi a Quarto Fechado, que chegou a seu primeiro registro em CD, Labirinto Meu. Com produção musical de Raphael Campos (Aeroilis), a obra foi financiada pelos fãs e distribuída nas plataformas digitais em novembro deste ano. Outros músicos, como os do Projeto Sola, se destacaram com suas canções e projetos com a teologia reformada.


Vanguardas nas grandes gravadoras

Neste ano, alguns cantores e bandas das várias gravadoras também se destacaram com novos trabalhos. Este foi o caso de Heloisa Rosa, na Musile Records. Após quatro anos de Confiança, lançado pela Onimusic, a artista mineira mostrou amadurecimento e utilizou as guerras e conflitos recorrentes de 2015 para falar sobre paz. Paz também conteve a participação de Mauro Henrique, vocalista da Oficina G3. E a Oficina G3 lançou o filme Histórias e Bicicletas, com o registro da gravação em estúdio, na cidade de Londres, em 2012. A obra conteve a participação de Leonardo Gonçalves, que auxiliou nas gravações do CD Histórias e Bicicletas (Reflexões, Encontros e Esperança).

Leonardo Gonçalves, inclusive, foi o maior destaque do ano. Com apenas um single, a canção "Acredito (We Believe)", trilha-sonora do filme Você Acredita?, alcançou mais de seis milhões de visualizações. De um fenômeno cult, Leonardo torna-se, cada vez mais, um ícone pop na música cristã contemporânea nacional. Seus últimos trabalhos pela Sony Music Brasil, Princípio e Fim (2012) e Princípio (2014) venderam mais de quarenta mil cópias no país.

Além de sua carreira solo, Leonardo se juntou a Mauro Henrique e Guilherme de Sá, vocalista da banda de rock alternativo Rosa de Saron, para um projeto chamado Loop Sessions + Friends. O encontro inusitado de um músico adventista com um cantor evangélico e um intérprete católico gerou repercussão positiva nos teatros os quais o trio se apresenta. Os três foram destaque numa matéria da revista Veja este ano, sobre o chamado "indie gospel".

Os adventistas, inclusive, se destacaram fortemente este ano. Além de Leonardo, o novo álbum de Rafaela Pinho foi bem recebido pelo público. Laura Morena lançou um combo de CD/DVD e o duo Os Arrais, na Sony Music, lançou o EP As Paisagens Conhecidas. Em termos de rock, outra banda em ótima forma é o Resgate. O quarteto lançou, em maio deste ano, o álbum 25 Anos, gravado ao vivo ano passado. Além de conter canções esquecidas ao longo dos anos como "Doutores da Lei" e "Leve Fardo", a obra se destacou pelas três faixas inéditas, "Ninguém Vai Saber" e "Luz". Em entrevista ao Super Gospel, o vocalista Zé Bruno compartilhou detalhes sobre o projeto e muitas curiosidades sobre a carreira.

Enquanto vários cantores aproveitam a boa fase, outros se recuperaram fortemente este ano. Um deles foi Pregador Luo. Com Governe!, o intérprete conseguiu utilizar-se da crise econônica e política nacional para traçar críticas e reflexões. Cassiane, após decepcionar em seus últimos quatro álbuns, produziu o esforçado Eternamente, lançado pela carioca MK Music. O Trazendo a Arca baseou-se na atmosfera ao vivo para apagar os efeitos negativos de Na Casa dos Profetas (2012) e produzir o congregacional Habito no Abrigo. Seu ex-vocalista, Davi Sacer, retomou a parceria com Ronald Fonseca e seguiu as tendências pop rock do álbum anterior, Venha o Teu Reino (2014).

Não podemos deixar de lembrar de dois projetos assinados pela Mess Entretenimento: as gravações dos DVDs comemorativos pelos 25 anos das bandas Novo Som e Catedral. O registro do Catedral, por sinal, será o último projeto da banda.


In memorian

2015 também foi um ano com mortes. Luiz de Carvalho, um dos principais intérpretes da música cristã contemporânea brasileira, morreu em novembro de 2015 aos 90 anos de idade. Vítima de um acidente vascular cerebral (AVC), o cantor lançou o seu último trabalho este ano, Louvor Saudade, juntamente com uma biografia. A tecladista e uma das vocalistas do Banda & Voz, Jolce Brito, foi acometida de câncer e também não resistiu. Musicista e arranjadora, produziu vários cantores evangélicos nas grandes gravadoras durante a década de 90, com seu marido Natan Brito.


Decepções e mal estar

A maior decepção de 2015, sem a menor dúvida, foi Thalles. O músico mineiro, cujas polêmicas eram cada vez mais constantes, prejudicou sua carreira ao realizar críticas ao meio musical evangélico. Vários intérpretes, incluindo Leonardo Gonçalves, não gostaram da afirmação. O bordão "acima da média" foi, de longe, o mais notável do ano. O cantor, de lá para cá, realizou várias mudanças em sua carreira. Tornou-se integrante da banda Renascer Praise, pastor da instituição neopentecostal Renascer em Cristo e reduziu sua agenda. Os próximos passos do mineiro, no entanto, são incertos. O episódio envolvendo o seu nome veio a provar que a segmentação e rótulo religioso ainda continuará sendo alvo de discussões por vários anos.

Outro grande mal estar do ano foram as polêmicas envolvendo o baixista Lenilton e os integrantes remanescentes do Novo Som. O compositor proibiu a banda de tocar suas músicas, e publicou um longo texto em seu perfil no Facebook. Muitos fãs do trio, formado por Alex Gonzaga, Mito e Geraldo Abdo, questionaram o grupo. Alex Gonzaga prestou esclarecimentos durante uma programação com Perlla.

André Valadão, por sua vez, também deu uma grande bola fora. Atraindo até mesmo críticas de jornalistas de fora do segmento evangélico, o músico provocou polêmica ao receber cachê de uma prefeitura para a gravação de um DVD em pleno ano de crise econômica. A explicação, no entanto, não soou convincente, mas foi suficiente para diminuir os questionamentos do público.


Eventos

Entre os destaques de 2015 tivemos três feiras, sendo 2 realizadas em São Paulo - Expo Vale Cristã e Salão Internacional Gospel - e uma em Goiânia - Gospel Fair, além do espaço evangélico na Festa Nacional da Música, ocorrida na cidade de Canela, no Rio Grande do Sul. Outra novidade foi o Encontro de Mídias e Lojista idealizado pela Sony Music em Goiânia e em São Paulo. O Grupo Graça (Graça Music, Graça Filmes e Graça Editora) também realizou um encontro com no Rio de Janeiro. Profissionais das grandes gravadoras, cantores, lojistas e jornalistas estiveram nesses eventos, ocorridos em datas próximas.

O Rock no Vale chegou a mais uma edição, e desta vez promovendo atrações inesperadas. Músicos como Os Arrais, Quarto Fechado, Marcos Almeida, Oficina G3 e Resgate estiveram juntamente com Tiago Iorc, A Banda Mais Bonita da Cidade e Supercombo, no mesmo evento.

O selo evangélico da gravadora Universal Music também chamou atenção na coletiva em que anunciou seu selo digital, contratando vários artistas do nicho independente. Um deles, Amanda Rodrigues, inclusive, veio com Sobre Ele, um dos melhores álbuns do ano.


O que nos aguarda em 2016

Em 2016, o grande destaque vai para a gravação ao vivo do Rebanhão. Com contrato assinado com a gravadora Mess Entretenimento, também responsável pela distribuição dos álbuns comemorativos das bandas Catedral e Novo Som, a obra promete marcar a volta da maior banda de pop rock da história da música cristã nacional, através dos músicos Pedro Braconnot, Carlinhos Felix, Paulo Marotta e Pablo Chies. A banda Catedral está fazendo os últimos shows de sua carreira, mas o vocalista Kim prometeu continuar gravando. O baixista Júlio Cezar lançou, recentemente, o álbum instrumental Only For You.

Vários músicos anunciaram novos projetos para 2016. Em janeiro, a banda Crombie lança seu primeiro trabalho após Casa Amarela (2011). Da mesma forma, Damares vem com um futuro projeto, o qual sucederá O Maior Troféu (2013). A banda Oficina G3 anunciou novidades, mas não deu muitas pistas. O álbum Histórias e Bicicletas, lançado em 2013, foi produzido e gravado sob muito mistério. Anderson Freire, Shirley Carvalhaes, Soraya Moraes, Paulo César Baruk, Brenda, Daniela Araújo, Nívea Soares, Luiz Arcanjo, Jorge Camargo e Gladir Cabral preparam novas obras. Pregador Luo anunciou um provável DVD, Carlinhos Veiga está trabalhando num EP chamado Parceiragens e Fruto Sagrado em um futuro projeto com o single "Fé Canibal", lançado este ano.



Seja social :)

 

Deixe o seu comentário


Grátis: Novidades em seu email


Siga-nos no twitter

Fique ligado em música gospel: @supergospel

Conheça os lançamentos e promoções: facebook.com/gospelgoods (Loja virtual Gospel Goods)



Novidades em seu email

Conteúdo Top





Parceiro

O Super Gospel, o portal da música gospel, é patrocinado pela loja virtual Gospel Goods
Loja virtual Gospel Goods
Fique ligado no que acontece no Super Gospel: Siga-nos no Twitter, receba atualizações via RSS ou e-mail.
Copyright - 2001 - 2011 Supergospel. Todos os direitos reservados.