Twitter do SuperGospel Facebook do SuperGospel

Matérias em destaque



Lito Atalaia

Publicada em 21/11/2008
Redação Super Gospel
Em 2001, ao fechar contrato com a 7 Taças, você se tornou o rapper mais novo com contrato no país. Nesta época você tinha 19 anos de idade. Como foi lidar com essa oportunidade?
Na verdade as coisas aconteceram mais rápido do que pude esperar, eu vinha de um grupo que se destacava na cidade de Guarulhos, porém, devido ao fato de fazer freetyles, e também ser convidado para participações especiais em outros grupos, ganhei certa notoriedade. Porém quando me converti, estava disposto a abrir mão de um futuro promissor no meio secular, para me dedicar somente a palavra de Deus e ao evangelho, que eu tinha acabado de conhecer. Eu nem me programei para começar uma carreira gospel , ou como prefiro chamar, um ministério.Com 19 anos que tinha ainda vivia intensamente o momento. Raramente me preocupava com o futuro, porém Deus tinha algo diferente para aminha vida. Estava em um dos últimos shows agendados pelo grupo no qual eu cantava, era uma abertura do Apocalipse 16, mas por causa do atraso que tivemos, cantamos no meio do show do Apocalipse 16, o Pregador Luo gostou muito, e pediu pra cantar mais uma, ao final do show me disse para ligar para ele, foi então depois desse contato que passei a ir para alguns shows junto ao Apocalipse 16, depois de um tempo fechamos para fazer meu primeiro disco solo, e menos de um ano depois "LEVANTE E ANDA", já estava nas ruas.

A maior pressão na verdade era pessoal, porque eu ainda era novo no evangelho e tinha medo de dar mancadas. Na verdade, esse medo aprendi que devo manter eternamente porque não é medo, e sim respeito, cuidado, com a palavra que pregamos e o Deus que representamos,devemos evangelizar através de atitudes e não só de palavras, e também tinha o fato de eu ser ouvido no secular, mas de la eu já vinha, sabia como as coisas eram, eu era novo sim, mas sempre tive um pastor que me mantinha no prumo e podava os excessos, inclusive pastor este que abre o primeiro disco e finaliza o segundo, meu pastor, JOILSON FELIX, do ministério Mintre em Guarulhos, de onde sou membro até hoje.

No ano seguinte lançou “Levante e anda” que foi indicado como melhor disco gospel no PREMIO HUTÚZ, que é considerado a maior premiação do rap na América Latina. Além disso você foi o primeiro rapper gospel a ser indicado na categoria revelação do ano. Como foi lidar com essa notoriedade?
O Apocalipse 16 sempre teve atenção do publico secular, mas eu não achava que por trabalhar com eles iria ter a mesma atenção, entendia que isso era uma bencao de Deus especifica para eles, que não iria necessariamente passar por mim. Quando me informaram que eu estava concorrendo ao premio fiquei feliz, por ser um concorrente no premio gospel, pois era sinal de que o primeiro disco não iria passar em branco , mas ai quando disseram que eu estava em três categorias, gospel, gravadora e revelação, ai vi que novamente Deus tinha algo diferente do que eu imaginava, percebi que deveria considerar o fato da evangelização de forma inteligente, aproveitar as situações para pregar com atitudes ao invés de palavras, uma vez que já que eu estava ali as pessoas já sabiam como eu cantava, e até apreciavam isto, restava agora que elas vissem como eu agia. Tendo em vista o fato de que de lá pra cá, este envolvimento tem aumentado, e sempre tenho sido não somente respeitado mas também convidado para eventos, palestras e varias participações, eu acho que estou conseguindo usar esta notoriedade para evangelizar.

Suas letras são sempre muito elogiadas. Eu, particularmente, tenho uma dúvida em relação ao hip hop em geral. No processo de elaboração dos versos, passando pela gravação, até as apresentações ao vivo. Como vocês fazem para manter as letras decoradas? É comum misturar os versos ou esquecer algo nos shows?

Olha, eu te confesso que durante o processo de gravação do segundo disco eu andei esquecendo algumas letras do primeiro, mas isso é normal, é muita rima na cabeça, e as novas estavam frescas, daí a a confusão. Mas fora deste tipo de situação não é muito comum esquecer, acho que é porque nós rappers escrevemos muito sobre o que sentimos, sendo assim, cada letra na nossa mente não esta só associada as rimas que ela traz, mas ao sentimento , a intenção e a emoção que ela passa, vendo por este ângulo, fica mais difícil misturar uma musica com a outra.

Em vista da repercussão do primeiro cd, quando foi anunciado o lançamento do segundo trabalho foi gerada muita expectativa. “Jave Nissi” lançado em 2007 manteve o padrão das letras e da métrica que é diferente da roupagem do usual do rap em geral. O álbum foi indicado ao Troféu Talento e foi considerado pela Revista Rap Brasil (maior do segmento no país) como melhor disco de rap gospel do ano. Conta pra gente um pouco dessa experiência.
Houve um fato curioso que me ajudou aliviar essa pressão, do começo pro meio de 2007 , a musica ELE QUE FEZ, com o Sergios saas, estava entre as mais tocadas em várias rádios do pais, e eu ainda estava em processo de composição e edição do disco, ainda nem tinha entrado na mixagem, e quando você esta envolvido em um projeto que antes de ser terminado já tem algum tipo de respaldo, isto te tranqüiliza, me mostrou que eu estava no caminho certo, que as decisões que eu tomara faziam sentido, e que Deus estaria comigo, não digo isto pelo fato da musica tocar e ficar em paradas de sucesso, mas pelo fato de atingir o coração das pessoas, de virem falar que foram grandemente abençoadas pelas palavras da canção, por sinalizar que Deus trabalharia em varias vidas com através deste disco.

Este fato me ajudou a terminar o disco com grande paz no coração, ao invez de inquietação na mente

O que você pode nos falar sobre o trabalho realizado em parceria com o Dj Max?

O Max é um rapaz de Guarulhos, que há uns 3 anos tem trabalhado comigo em shows e fazendo produções, tem se destacado como DJ também no meio secular, hoje dá aula em varias oficinas, e como produtor tem feito trabalhos para grupos renomados do rap nacional.Pelo fato de ser determinado e disciplinado, não só ao trabalho mas principalmente ao evangelho, a algum tempo eu vinha pensando em fazer algo para dar uma exposição legal ao trabalho dele,, foi quando tivemos a idéia de fazer uma mixtape, um disco com produções e vários músicos diferentes , em sua maioria com instrumentais já antes produzidas.Porém, ele foi produzindo coisas bacanas, e cada vez mais fomos convidando pessoa s que gostavam do trabalho dele, até que chegamos a um ponto onde vimos que não podíamos deixar de dar a este trabalho um acabamento de alta qualidade, foi quando decidimos que não seria mais uma mixtape, e sim um disco usual.Mixamos as musicas, fizemos boas fotos para capa e encarte e fechamos contrato com a Leonell Line, para o lançamento e distribuição do álbum, que vai para as ruas provavelmente no fim de 2008, e conta com participações como, Dj Alpiste, Provérbio X, Marcio attack versus, DJ Jamaika, Fex,Cabal, Marrom, X-barao, e vários outros grandes nomes que vocês logo verão.O nome do disco é LITO ATALAIA APRESENTA DJ MAX NOS BEATZ, e vocês podem dar um ouvida em algumas musicas nos endereços : www.myspace.com/atalaia e www.myspace.com/djmaxnosbeatz

Você fechou contrato de comunicação com a agência MR1. Que trabalhos pretende realizar junto a sua nova house?
Eu tenho recebido alguns convites de trabalho inesperados e sensacionais, como por exemplo essa última campanha que fiz para a Volkswagm,no 25 salão Internacional do Automóvel, no Anhembi. No próprio estande da empresa para o lançamento do novo Voyage ou uma outra que farei para o aniverário do Bob`s, que será realizada em Santos.Porém eu já tinha a minha agenda pautada em eventos e produções em estúdio, aí entrou a MR1.Nossa idéia é organizar tudo que tem acontecido de forma a fazer com que todas as coisas sejam bem executadas, com bom empenho e dedicação, cuidar de tudo com a mesma atenção, eles tem me ajudado muito no sentido de que quando estou em um trabalho não fico preocupado com o outro, sei que estão trabalhando duro para as coisas correrem bem, e ao mesmo tempo trabalham a imagem do ministério, para que as pessoas que tem parcerias com o ministério LITO ATALAIA sempre sintam-se bem representadas, fazem todo o trabalho de publicidade, marketing e assessoria, permitindo assim que eu fique mais focado na musica e nas produções . Graças a Deus tem sido expetacular!

E sobre a gravação do seu DVD? Quais são as suas expectativas? Como escolheu as participações especiais?
Pois é, a gravação será no dia 27 de novembro, em São Paulo, no Santana Hall, na avenida cruzeiro do sul 2737, ao lado dos metros Santana e Carandiru, é outro presente de Deus no meu ministério, temos ensaiado bastante, orado, jejuado, e buscado a direção para o que acontecerá no dia, sempre me preocupo quando me apresento, em estar sensível a vontade de Deus durante a apresentação, entender o que ele quer fazer e me posicionar neste sentido, porém o Dvd é algo mais complexo, pois ficara gravado,poderemos tocar mais vidas com a mesma apresentação, se faz então um momento de mais atenção e sensibilidade ainda, estamos buscando nos encaixar na vontade divina para isso, e também ensaiando bastante, acho que as pessoas que já acompanham nosso trabalhos vão gostar, e as que ainda não conhecem também..rs..tem de tudo, desde samba até Drum and Bass.Todas as participações foram escolhidas com todo carinho, eu já fiz mais de 250 participações, e todas foram importantes, escolhemos aquelas que entendemos fazer parte desta direção de Deus para este dia, inclusive com duas surpresas, uma regravação de uma musica do Robson Nascimento que faremos com o Edu Ribeiro, e a musica nova que faremos com o Raiz Coral, fora as musicas com Provérbio X e Dj Alpiste que já são as canções do disco do Max, que sai em dezembro, porém as pessoa já conhecem, de fato, tem sido um tempo especial para todos nós.

Na sua opinião, como é visto hoje, no meio secular, o rap cristão?
Eu tenho a sensação de que as barreiras estão caindo, sempre tive a impressão de que muitas vezes o maior preconceito era o do lado de cá, de nós cristãos, e aos poucos estão todos entendendo que não podemos evangelizar separados e nos afastando, o trabalho que eu faço, o apc, ou o ao cubo, por exemplo, é nada mais do que repetir o que Jesus fazia, ele andava com todos, não era como os pecadores, mas andava ao lado deles, para falar-lhes a respeito do reino, a respeito da vida que não conheciam, e da vitória que poderiam ter, devemos fazer o mesmo, quando temos a oportunidade sempre falamos, quando não temos, mostramos, como eu disse no começo...eu ouvi essa frase na verdade do Cleber do Ao Cubo....Pregue o evangelho, e se necessário use palavras...

Deixe um recado para a galera do Supergospel que curte o Lito Atalaia
É isso ai galera, valeu pela atenção, pelo apoio e pelas orações que fazem não só pelo nosso, mas por todos ministério que evangelizam pelo Brasil e pelo mundo, continuem orando e agindo, quero ver todos vocês dia 27 de novembro no Santana Hall, para a gravação do Dvd ok !, informações pelo 2206 - 1350, obrigado ao supergospel pela oportunidade ,acessem www.litoatalaia.com.br, Deus abençoe a todos e não se esqueçam, O SENHOR É A NOSSA BANDEIRA!!!

Seja social :)

 

Deixe o seu comentário


Siga-nos no twitter

Fique ligado em música gospel: @supergospel

Conheça os lançamentos e promoções: facebook.com/gospelgoods (Loja virtual Gospel Goods)



Conteúdo Top





Parceiro

O Super Gospel, o portal da música gospel, é patrocinado pela loja virtual Gospel Goods
Loja virtual Gospel Goods
Copyright - 2001 - 2018 Supergospel. Todos os direitos reservados.