Twitter do SuperGospel Facebook do SuperGospel

Matérias em destaque



Análise

CD Reino de Justiça
(Nívea Soares)

Análise feita pelo colaborador:
JP Mathias (contatojprodutor@gmail.com)
Reino de Justiça

Compre este CD agora

Faixas:
1. O Senhor é Bom
2. Não Seremos Abalados
3. Deus Eterno
4. Deus Vivo
5. Me Entrego a Ti
6. Pela Fé
7. Por Toda Terra
8. Reino de Justiça
9. Sua Justiça Prevalecerá
10. Os que Esperam Em Ti
11. Que se Abram os Céus
12. Santo, Deus Poderoso
Reino de Justiça, novo trabalho da cantora mineira Nívea Soares, foi gravado ao vivo na cidade de Campinas em São Paulo. Assim como os discos Emanuel (2010) e Glória e Honra (2012), o projeto incorpora novos elementos em sua música, embora a transição entre o pop e o rock se mantenha como de costume.

Este caráter pop dos trabalhos de Soares se segue entre influências eletrônicas. Os timbres das guitarras comandadas por Igor Nunes e Lucas Smitt soam bem e os teclados e coberturas comandadas por Gustavo Soares, também responsável pela produção, arranjos e mixagem, se complementa muito bem à cozinha. A pós produção do álbum é correta e a performance de Nívea transmite seriedade e controle absoluto, mesmo nas canções mais agitadas. Sua firmeza nas interpretações são mais incisivas do que nunca.

Nívea, como autora da maioria das faixas, não poderia dar outra personalidade à sua voz. Há esperança nos versos, mas também um caráter apocalíptico, já visto especialmente em canções como "Todo Olho Verá" do álbum Emanuel. A crise na política brasileira é escancaradamente influência. Em músicas como Deus Eterno e especialmente Não Seremos Abalados, a cantora versa sobre crises, governos, inimigos, sempre confluindo para uma reflexão sobre a soberania divina em condução congregacional.

Por se tratar de um trabalho gravado ao vivo, os músicos conseguem manter a constância e a pegada em todas as músicas, inclusive nas mais lentas. Há de se destacar a força com que o disco é introduzido com Os que esperam, Sua Justiça Prevalecerá com riffs de baixo mais pulsantes, a faixa-título Reino de Justiça e Santo Poderoso Deus cujo a sonoridade que transita entre o acústico e o elétrico. O repertório é coerente. O arranjo de cordas embeleza as canções O Senhor é bom e Não seremos abalados. Os pads e pianos são muito bem colocados, trazendo uma forte influência do pop, porém as guitarras e alguns riffs trazem uma generosa pitada de rock, principalmente da linha britânica.

É um disco suficientemente correto que, mesmo não dando tanto destaque às captações e a energia do público como no ao vivo Glória ou Honra, não soa como um estúdio de caráter intimista como Emanuel. Reino de Justiça, que pode ser considerado o álbum mais congregacional da cantora, consegue mesclar elementos positivos dos dois mundos, com uma boa dose de autocontrole, mostrando o amadurecimento linear na carreira de Nívea Soares e de seu marido e produtor Gustavo Soares.

Nota: ★★★★☆

Colaboração e revisão: Tiago Abreu


Compre o CD Reino de Justiça na loja virtual Gospel Goods

Atenção: As análises são escritas por usuários colaboradores do Super Gospel, e descrevem suas opiniões pessoais. Os comentários e observações não necessariamente refletem as opiniões do site.

Seja social :)

 

Deixe o seu comentário


Siga-nos no twitter

Fique ligado em música gospel: @supergospel

Conheça os lançamentos e promoções: facebook.com/gospelgoods (Loja virtual Gospel Goods)



Conteúdo Top





Parceiro

O Super Gospel, o portal da música gospel, é patrocinado pela loja virtual Gospel Goods
Loja virtual Gospel Goods
Copyright - 2001 - 2018 Supergospel. Todos os direitos reservados.