Análises

Faceless Man (Seven Angels)

Márcio Heck em 14/03/06 7238 visualizações

Faceless Man

(CD) 01/05


Seja o primeiro a avaliar

Ouça e dê sua nota

A banda curitibana Seven Angels, formada por Debora Serri (vocal), Karím Serri (guitarra), Régis Lafayette (guitarra), Gustavo Martins (baixo) e Eliézer Leite (bateria), chega ao seu novo disco, após três anos de espera, acrescentando elementos e inovações ao bom power metal executado pelo grupo.

Após a ótima repercussão dos trabalhos anteriores "To know God... and make Him known" em 2001 e "The Second Floor" em 2002, agora a banda traz seu melhor álbum, o “Faceless Man”, lançado em novembro de 2005, pela Encore Records e distribuído pela Bombworks nos Estados Unidos, Europa e Austrália.

Seven Angels, que já é referência no contexto metálico brasileiro preenche um espaço bastante procurado, devido o uso de vocais femininos. No contexto cristão, poucos grupos exploram esta modalidade de voz.

Este esperado álbum foi gravado no conceituado Nico’s estúdio, em Curitiba, mixado por Silas Godoy, que já trabalhou com Dr. Sin e Ratos de Porão, e masterizado num dos melhores estúdios do mundo, o Finvox, na Finlândia, o mesmo de Stratovarius, Sonata Arctica e Gamma Ray.

As guitarras estão bem mais virtuosas e aceleradas que no “The Second Floor”. A timbragem dos instrumentos é fiel ao estilo e, ao mesmo tempo variada, para não saturar o ouvinte com a mesma sonoridade o álbum todo.

A Handful Sand” abre o CD em alta rotação, sem introdução, diferente do álbum anterior. Sua mensagem aborda de forma bem colocada e encorajadora sobre o renascimento em Cristo. Traz como convidado Marco Caporasso, vocalista da banda Dragonheart. As alternâncias de velocidade e a bateria veloz fazem desta faixa um destaque no álbum. A “Beyond the dark side of the moon” dá continuidade ao som de abertura, permeando partes carregadas com suaves e momentos de extrema técnica.

Débora Serri explora seu lado lírico na belíssima “Nothing besides dust”, uma das composições mais marcantes do disco. Em seguida, “Walking over all the seas”, também pesada, alterna momentos e climas variados, incluindo vocais guturais de Osias Colucci.

Faceless Man” traz a maior dose de metal progressivo e versa sobre o desejo do homem em conhecer a si mesmo, ante a criação, reconhecendo sua dependência de Deus. Outro destaque do disco é “Unseen Truth”, que traz sensações e atmosferas diversas. Nesta música temos a boa participação de Ronaldo Simolla (Matriz, ex-Delpht). Sua voz lembra a do vocalista da banda alemã Seventh Avenue. Ainda nesta música temos um inesperado e bom solo de sax (isso mesmo, solo de sax!) que é bem encaixado no contexto da composição.

Carregada de riffs rápidos logo na introdução, “Daydream” tem melodia diferenciada, com instrumental bastante técnico. Aliás, técnica não falta em todo o disco, sem torná-lo desgastante por isso. Fechando o álbum com competência, temos ainda “Nobody wants to live alone” e “From now to Eternity”.

“Faceless Man” é um disco idealizado por pessoas comprometidas com Deus, que levam seu evangelho adiante. É altamente recomendado a quem gosta de boas guitarras, técnica e muita melodia. No site oficial da banda (www.sevenangels.com.br) é possível encontrar todas as traduções. Que Deus abençoe a banda Seven Angels!
Faceless Man

(CD) 01/05


Seja o primeiro a avaliar

Ouça e dê sua nota


Comentários

Para comentar, é preciso estar logado.

Faça seu Login ou Cadastre-se

Se preferir você pode Entrar com Facebook

Receba as novidades de música gospel diretamente no seu WhatsApp. Seja avisado sobre novos vídeos ou músicas.

Entrar no grupo

Este é um serviço totalmente gratuito e você pode sair quando desejar.