Notícias

Conversamos com Weslei Santos que falou sobre sua saída do Preto No Branco e ministério solo

Roberto Azevedo em 15/08/18 1707 visualizações

Na última quinta – feira, 10 de agosto, o grupo Preto No Branco divulgou a assinatura de contrato com a Universal Music. Após a notícia, uma série de matérias especulativas tomaram conta das redes socais.  Aproveitamos o momento e optamos por fazer algumas entrevistas com os integrantes do grupo. Confira abaixo nosso bate papo com Wesley Santos.

1-      Vamos começar com o tema que resultou na origem dessa entrevista. Está sendo noticiado que você não irá dar continuidade como integrante do Preto No Branco. Isso procede?

- Então, sempre foi muito especial o que aconteceu no PNB ao longo destes anos, e tudo isso que fez com que o projeto se tornasse minha prioridade! Com todas experiências que vivi com o PNB hoje me vejo num momento de cantar outras coisas, de falar de outros assuntos que eu sei que não fazem mais parte do novo rumo que o PNB deseja seguir! Com isso volto a prioridade para os meus projetos pessoais que estão por vir. Deus, Minha família e meus amigos foram e continuam sendo a base pra que tudo funcionasse muito bem nesse tempo e sei que eles estão comigo nessa também!

2-      E como ficam as agendas já marcadas? Até quando você ainda cumprirá os compromissos com a banda?

- Cumpro todas até setembro! A minha saída já está sendo conversada com todos da banda há muito tempo. Não é um decisão intempestiva ou motivada por alguma coisa em específico. O PNB começou como um projeto, algo que teria início, meio e fim. Como tivemos um sucesso absurdo e de alguma forma, até inesperado, prolongamos muito nossa permanência no projeto, mas desde o início era definido de que após um tempo seguiríamos em nossos projetos próprios.

3-      Com base nos boatos publicados em outros sites sobre um possível desconforto seu com os rumos que a banda estava tomando,  poderia compartilhar com nossos leitores o real motivo ( ou motivos) da sua não continuidade no projeto?

- Eu vim da igreja, me criei na igreja e quero viver na igreja e entendo perfeitamente a proporção que tomou o PNB e levou a um outro patamar onde não consegue estar mais presente somente na igreja, o que é totalmente aceitável, só que a minha vontade é diferente nesse sentido ... mesmo com a agenda cheia eu jamais deixei de servir à igreja, pegava meu violãozinho e ia prestar culto junto com ela, mesmo cansado e desgastado dessa correria maluca! Com isso fui ganhando alguns assuntos que quero compartilhar e ouvir a igreja cantá-los passa a ser meu lema. Eu creio que não preciso mudar meu estilo, minhas letras, minha postura para que pessoas que não sejam de nosso meio conheçam minha arte, minha mensagem. Acho que se a minha música for boa, sincera e tenha qualidade, naturalmente pessoas de diferentes segmentos terão acesso ao meu conteúdo e serão impactadas. Creio nisso firmemente! Não preciso mudar para falar de Deus a diferentes pessoas. Por isso, sigo da mesma forma como que comecei antes de ser conhecido pelo PNB, cantando minhas verdades, mantendo-me fiel ao que creio e com uma mesma expectativa, que é levar a palavra dEle para o maior número de pessoas.

4-      Vamos aproveitar o espaço para falar sobre seus projetos. O mais recente que está em evidência na mídia foi a produção do show “Como Cantavam Nossos Pais”, da Arianne. Conte-nos um pouco sobre essa experiência?

- Maravilhosa! E que me remete ao que comecei tocando! Quando eu tinha que tocar essas canções pro meu pai é minha mãe, hoje mesmo recebi uma mensagem do meu pai falando sobre o “CCNP” da Ariane! Isso não tem preço!! E trabalhar com quem você admira fica ainda mais fácil! Arianne, Evandro e Tito são amigos do peito! Este projeto tem muita força e pode gerar outros volumes, turnês, enfim, acho que Arianne foi muito feliz na escolha do projeto e eu estou muito feliz de ter participado da direção musical.

5-      Que outros projetos você está envolvido e gostaria de registrar aqui para os nossos leitores?

 - Bom, já estou finalizando um trabalho com a cantora Camila Campos que esta belíssimo. Tem também o novo álbum do meu amigo Lukão Carvalho que está lindo de se ouvir! Além disso, é claro, estou selecionando o repertório de meu projeto solo que deve sair ainda em 2018. Tenho muitas músicas já compostas, outras que recebemos e algumas estou desenvolvendo em parcerias. O importante é que estou muito feliz, muito motivado e certo de que estou no melhor caminho, tomando a melhor decisão. Só posso agradecer ao pessoal do PNB por esta caminhada até aqui e agradecer muito a Deus por ter me proporcionado esta experiência que está marcada em minha vida. Agora é foco nos meus projetos e trabalhar muito!

Ouças as músicas e saiba mais sobre:

Veja também no Super Gospel:

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo é cristão e membro da Comunidade Evangélica Betel (RJ). É militar e curte música, filmes e games (não necessariamente nesta ordem). É o principal colaborador do SuperGospel desde 2005.


Comentários

Para comentar, é preciso estar logado.

Faça seu Login ou Cadastre-se

Se preferir você pode Entrar com Facebook

Receba as novidades de música gospel diretamente no seu WhatsApp. Seja avisado sobre novos vídeos ou músicas.

Entrar no grupo

Este é um serviço totalmente gratuito e você pode sair quando desejar.