Análises

Apocalipse 16 e Templo Soul (Apocalipse 16)

Roberto Azevedo em 21/04/06 50008 visualizações

Apocalipse 16 e Templo Soul (CD) 01/06

Avalie e dê sua nota

1 - Apocalipse e Templo Soul
2 - Chicote Estrala
3 - Último dia
4 - Firme
5 - Todos têm pressa
6 - Um momento
7 - Canção para o meu herói
8 - Canto dos firmeza
9 - Um passeio
10 - Slaps e Scratches
11 - Entra no clima
12 - Fogo cai
13 - Te louvarei
14 - Oh vem!
15 - Opostos
16 - Tá cruel
17 - Tudo pode mudar

Quem curte black music com qualidade não vai ter do que reclamar neste primeiro semestre de 2006.

Já é fato comprovadíssimo que a black music nacional vem crescendo cada vez mais, surpreendendo e agradando os adeptos deste estilo musical que está fazendo uma verdadeira revolução, inclusive no meio secular.

É impressionante a quantidade de incrédulos que param e ouvem a mensagem do Evangelho, porque são "hipnotizados" pela qualidade técnica e musical do som que esta sendo tocado, que tem ainda um diferencial importantíssimo, a qualidade espiritual.

Os lançamentos realizados no ano de 2005 serviram para confirmar o alto padrão de qualidade da black music evangélica. Robson Nascimento (Tudo que Soul), Apocalipse 16 (D´alma), Groove Soul (volume III), Link 4 (Obrigado), entre outros, mostraram que a boa música é uma arma tenaz nas mãos dos crentes contra o império de Satanás neste mundo.

2006 começou com força total, logo de cara tivemos acesso ao primeiro disco de Luciano Claw (Sentimentos), Maurílio Santos (Simplesmente adorador) e P.C. Baruk (Eletro-Acústico Ao vivo). Enquanto aguardamos os novos lançamentos do Raiz Coral, Link 4 Acústico e do Soul Dreams, somos brindados com um álbum que tem tudo para ser eleito entre os melhores do ano.

O esperado encontro entre as bandas Templo Soul e Apocalipse 16 chegou as lojas no início de abril e está no ponto para agradar tanto quem acompanha o trabalho destas 2 bandas, tanto para quem nunca teve uma oportunidade de ouvir o som dos caras.

O álbum vem com uma proposta de soma de forças, com influências particulares de cada grupo e com elementos que nenhum deles havia usado até então, mas com o toque particular de cada um.

O Apc 16 é um reconhecido e aclamado grupo de rap gospel paulista,

liderado pelo rapper Pregador Luo que ultimamente vem demostrando toda a versatilidade da sua carreira. O cantor está com uma participação especial no novo cd do KLB, "Obsessão", onde participou da faixa título após um convite que aconteceu através de um amigo em comum entre ambos, o lutador de Jiu jitsu, Victor Belfort.

Possui 4 discos lançados, sendo os 3 primeiros com a formação inicial com Charles MC e Dj Beitico. Além disso o rapper lançou um álbum solo duplo (RevoLuoção), esta preparando outro trabalho em parceria, desta vez ao lado do Rodolfo (ex-Raimundos e ex-Rodox) denominado Santo Sangre e tem feito participação em dezenas de trabalhos evangélicos, sendo o mais recente, a canção Trono de Deus no novo cd do PG, De um lado a outro.

O Templo Soul lançou ano retrasado Volume III, que foi eleito o melhor cd de black music pelo Troféu Talento 2005, sem contar que seu primeiro disco, que trazia entre tantos hits a canção Caixa d´água, virou noticia até nos fanzines seculares de black music.

A idéia do álbum em parceria surgiu através de Luo há alguns anos, antes mesmo de ter surgido projetos como o do Jay-Z e Linkin Park, ou Ana Carolina e Seu Jorge.

Porém, na pratica essa parceria já vem de longa data. Desde a participação e produção de Rogerinho Sarralheiro em algumas faixas de Antigas idéias, novos adeptos, passando pela participação de Luo nos cds Não desista e Volume III. Curtimos o ápice desta parceria na ótima É mentira do cd D´ alma.

São 17 músicas que exploram ao extremo os estilos e influências musicais dos 2 grupos e mistura com inteligência e criatividade as batidas de hip hop, com o rap inconfundível de Luo, os scratches de DJ Negrito, ao lado dos vocais e metais em brasa típicos do Templo Soul e uma novidade que eles já vem explorando a algum tempo, que é a ginga do samba brasileiro.

O disco traz um repertório com músicas de letras confrontantes, atuais, e que ao mesmo tempo botam o esqueleto pra mexer e remexer. Com certeza é impossível ficar parado e não lembrar de agradecer a Deus por podermos nos alegrar em sua presença.

Com muito groove, muito rap, muito soul, muito swing, vamos do hip hop tradicional até o reggaeton, passando até mesmo pelo samba rock. Tudo com o talento e qualidade criativa dos produtores Rogério Sarralheiro e Pregador Luo.

Apocalipse 16 e Templo Soul é a vinheta que abre a gravação. Luo e Rogerinho dão o recado sobre o que vamos ouvir nas próximas 15 faixas.

Chicote Estrala abre seqüência inicial do disco que é composto em sua maioria por letras que vão além do lugar comum das gírias de crentes e dos chavões evangélicos. Essa primeira é uma crítica séria, fria e inteligente sobre a condição de decadência que tomou conta das autoridades de nosso país. “Pra quem oprime o povo pobre que rala; que põe o fruto do seu roubo na mala; pra quem mata o inocente a bala; autoridade que vê tudo e se cala”.

Último Dia versa sobre a questão da idolatria e amor ao dinheiro (raiz de todos os males) e sobre a ganância pela riqueza, responsáveis pela exploração aos menos favorecidos, corrupção, mortes, enquanto as autoridades fingem que esta tudo bem baseados em suas das estatísticas. “Então vê se vigia, e se hoje for seu último dia? E de que valeu tanta correria? Nada, não valeu de nada. Pra que tanto dinheiro? Não adianta por no bolso do terno, eles não aceitam isso lá no inferno, nada, isso não vale nada”.

Firme é uma das que eu mais gostei. Nessa os caras mandaram ver. A estrofe inicia baseada no texto de um e-mail que rolou na rede há um tempo atrás que falava entre outras coisas sobre o Titanic, a eleição de Tancredo Neves, etc...

O refrão traz o coro de um hino tradicional batista cantado com uma modulação de pitch na voz que ficou interessante, se bem que numa primeira audição poderíamos dizer que ficou “engraçada”. “Firme, firme, firme nas promessas de Jesus meu mestre. Firme, firme, firme nas promessas de Jesus”. A letra em si é um caso a parte. Edificante.

Todos Têm Pressa é uma das faixas dançantes. Versa sobre o ativismo do ser humano no século XXI. Desde pais que se envolvem tanto com o trabalho e não tem tempo para seus filhos e esposas. Num certo momento da música Luo e Rogério trocam frases como se fosse uma espécie de “repente” nordestino.

Um Momento vem em clima de r & b e versa sobre separarmos um tempo para nós e nossa família. Um momento de sossego e de descanso para desfrutarmos as maravilhas de Deus que estão ao nosso redor e que muitas vezes não damos a devida atenção devido a correria de nosso dia a dia.

Canção Para o Meu Herói mantém a pegada r & b da canção anterior. Essa é outra das que eu mais gostei. Realmente muito linda, desde a pegada da canção até a letra de exaltação e homenagem ao “Cordeiro santo e Seu ato de coragem”. Traz a participação de Júlio de Castro nos vocais.

Canto dos Firmeza vem com a pegada típica do Templo Soul e seus metais em brasa. Versa sobre “Ela”, a Tristeza. Boa oportunidade para ouvirmos Luo solando frases mais melódicas. Traz a participação de Robert MC nos vocais.

Um Passeio é interpretada por Luo e Alexandre V. dos Santos que impõe uma pegada vocal “bossa nova” sem perder o feeling da black music. A idéia da letra segue a forma da canção “Um momento”, com 2 diferenças. A base mais dançante e a letra que é menos abrangente e mais intimista.

Slaps e Scratches é outra vinheta pra gente poder dar uma respirada.

Após a vinheta a chapa esquenta de novo. Entra no Clim é a faixas mais dançante do álbum. Vem com a pegada de Se segura e Festa. Ou seja, é uma canção TS típica. Os metais são um caso a parte.

Fogo Cai é um reggaeton e também é a canção mais “pentecostal” do disco. “Joga a gasolina e mantém a chama viva”.

Te Louvarei traz de volta Ale e sua pegada vocal cheia de bossa sem perder a pegada black. Um samba rock com uma pegada bem dançante que versa sobre a autoridade de Jesus e conta com os metais cheio de swing. Outra boa oportunidade de ouvirmos Luo cantando linhas mais melódicas e menos rimadas.

Oh Vem! traz de volta a modulação de pitch na voz usada na faixa Firme. Desta vez sobre um trecho de refrão de “Ao que estás assentado” (Alfa e Omega). A canção versa sobre a segunda volta de Cristo, esperança de todos os cristão em todas as épocas. Em alguns momentos Luo divide as rimas com Rogério.

Opostos tem a rima e vocal muito bem executados. Funciona como uma crônica em relação a indivíduos que não decidem-se se estão do lado do crime ou do lado de Jesus. “A salvação está de um lado e o crime esta do outro, e nesta encruzilhada você está bem no meio”.

Tá Cruel discursa sobre nossas desventuras neste mundo que jaz no maligno. A parte em que o rapper conta quando foi assaltado é, no mínimo, de “arrepiar”.

É impossível destacar uma entre as 17 faixas, realmente os caras se superaram. Pra quem quer ouvir algo diferente que glorifica a Deus e edifica os homens este álbum é um prato cheio.

Tudo Pode Mudar termina a gravação com outra crônica. Traz uma levada mais light e versa sobre uma situação específica na vida de um mano. O assunto é adultério e homicídio. A mim, basta dizer que a emoção desta última faixa é demais.

O resultado final ficou maravilhoso. Com certeza um disco que vai entrar para a história da música negra brasileira, seja gospel, seja secular. As letras, sejam as de exaltação a Deus, sejam as críticas sociais e políticas, são verdadeiros convites a reflexões. Cada comentário meu escrito acima não abrangem 10% do que conteúdo das mesmas, seja em relação as letras, seja em relação as bases e aos arranjos. Só mesmo ouvindo para conferir.

Acompanho o APC e o TS desde os seus primeiros trabalhos e ao meu ver o saldo foi mais que positivo. Resta-nos aguardar o dvd do Apc 16 marcada para o meio do ano, assim como o disco solo de Sarralheiro. E viva a black music.
Apocalipse 16 e Templo Soul (CD) 01/06

Avalie e dê sua nota

1 - Apocalipse e Templo Soul
2 - Chicote Estrala
3 - Último dia
4 - Firme
5 - Todos têm pressa
6 - Um momento
7 - Canção para o meu herói
8 - Canto dos firmeza
9 - Um passeio
10 - Slaps e Scratches
11 - Entra no clima
12 - Fogo cai
13 - Te louvarei
14 - Oh vem!
15 - Opostos
16 - Tá cruel
17 - Tudo pode mudar

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo é cristão e membro da Comunidade Evangélica Betel (RJ). É militar e curte música, filmes e games (não necessariamente nesta ordem). É o principal colaborador do SuperGospel desde 2005.


Comentários

Para comentar, é preciso estar logado.

Faça seu Login ou Cadastre-se

Se preferir você pode Entrar com Facebook

Receba as novidades de música gospel diretamente no seu WhatsApp. Seja avisado sobre novos vídeos ou músicas.

Entrar no grupo

Este é um serviço totalmente gratuito e você pode sair quando desejar.