Twitter do SuperGospel Facebook do SuperGospel

Matérias em destaque



Análise

CD Sou livre
(Rebeca Nemer)

Jonas Paulo Ferreira da Silva em 26/02/2012
Para o Super Gospel
Sou livre

Compre este CD agora

Faixas:
1. Eu Tenho Algo
2. Eu sou Livre (Part. Paulo César Baruk)
3. Meu Melhor Amigo
4. Minha Escolha
5. Quero Me Mover
6. Decoreba
7. Pororó
8. Ninguém é Igual a Jesus (Par. Pr. Adhemar de Campos)
9. I Can Do
10. Pequeno Salmista
11. Morto ou Vivo
12. Não Vou Mais Brigar (Part. Hélvio Sadré)
13. Eu Tenho Aglo - Faixa Bônus
No início das minhas interações via Twitter com a cantora, diretora de arte e CEO da Salluz, ela convocou os song-writers de plantão por lá pra criarem canções infantis sobre personagens bíblicos para um projeto novo (ainda inédito).

Abelhudo que sou, disse o meu “Eis-me aqui!”. Na ocasião escrevi duas canções: o “Blues do Jonas” (ainda inédito) e à partir uma ideia simples na qual já trabalhava a meses, “Pequeno Salmista”. Enviei esta para a cantora (e hoje, amiga querida) e fiquei feliz com a boa recepção que ela teve. A canção é a 10ª faixa do “Sou Livre”, álbum lançado na ExpoCristã de 2011.

De início, fiquei receoso em escrever sobre este disco, principalmente pelo meu envolvimento como autor de uma das faixas, mas depois de inúmeras pessoas me cobrando novos reviews aqui no Blog, decidi que o primeiro do ano deveria ser o Sou Livre da Rebeca Nemer.

O disco é um pouco diferente dos trabalhos anteriores da cantora. É voltado a um público mais abrangente. Sem deixar de lado canções infantis, o disco alcança também o público teen com faixas dançantes e eletrônicas, como a Eu Tenho Algo que abre o disco com um som “gordíssimo” e vocais com aquele trato eletrônico over-tunados.

A 2ª faixa é a linda canção Eu Sou Livre com participação especialíssima de Paulo César Baruk e uma atmosfera de louvor de Igreja mesmo. Uma canção acessível e muito bem feita.

Meu melhor amigo é a contribuição do Samuel Mizrahy ao disco da Rebeca e o resultado é uma canção com a marca da alegria do Samuel. Os violões e guitarras da faixa estão ótimos e são obra do Cacau Santos, que sempre acerta na mão!

Minha Escolha é a primeira balada do disco. De autoria de Leila Francieli, a voz da Rebeca acolheu muito bem a canção, que não sai em momento nenhum de um clima singelo e confessional.

Quero Me Mover volta ao clima mais dançante e aqui começa a aparecer bem pronunciada a contribuição de Fernando Menezes que mixou o disco. As escolhas de efeitos, os planos de panning e tudo mais que é pertinente à mixagem ornam por demais o disco como um todo.

Este traço do álbum segue na faixa 6 – Decoreba, de Edson Feitosa, que é uma diversão daquelas. O público infantil agradece e os mais velhos também “se jogam” com a desculpa de que é pra “acompanhar os pequenos”. Todo mundo liberado! A faixa é divertida e ponto!

Pororó – a primeira vez que ouvi a faixa 7, a ficha não caiu. Foi só em conversa com alguns amigos que descobri que a música já foi hit de acampamento metodista lá pelas bandas do Rio de Janeiro. O que eu achei da faixa inicialmente é que era uma “doidera doida” daquelas que são a cara do produtor do disco. Um beat meio “Black Eyed Peas” e tal.

A participação de Adhemar de Campos na faixa seguinte num tema africano gravado com um sabor jamaicano está muito bonita. Essa canção mostra o talento que o Baruk tem como arranjador. É muito repertório, muito conhecimento de estilos e linguagem musical. Isso não é coisa que se vê por aí à rodo não...

I Can Do faz o retorno pro pop-rock com aquele sabor britanizadinho (deu pra entender isso?). As guitarras do Alexandre Mariano falam alto e junto com os baixos do Aposan.

Agora chegamos naquele temido ponto do conflito moral: o que dizer da faixa de minha própria autoria? Bom: pra mim é a melhor do disco! É uma coisa fantástica! É demais... Hora do recreio à parte, vamos ao comentário que não pode calar: O arranjo do Baruk aqui foi um presente de Deus. Uma das maiores alegrias pra um autor é ver seu trabalho tão bem tratado assim. A canção foi escrita para a Rebeca. Para a voz dela. Acredito que isso tenha contribuído para o resultado realmente bonito da faixa que aliás é de uma economia notável! O vocal ao fim da faixa é inusitado. Ousam-se paralelismos que dizem por aí serem proibidos, inclusive... Enfim, aqui tem a coisa pessoal gritando. A faixa foi um presente!

Morto ou Vivo de Leila Francieli volta ao climão eletrônico, mas traz uma letra com conteúdo, coisa que não é muito comum no estilo dos “I got a feeling” da vida...

E nessa escalada de conteúdo chegamos à canção do Hélvio Sodré. Não Vou Mais Brigar que abre de Ukulele e fala LINDAMENTE do tema famoso hoje em dia que é o tal do Bullying, chamando ele brasileiramente de “brigar”, chama de “empinar o nariz” e coisa e tal culminando no perdão e na amizade. A canção é a cara do Hélvio e a voz dele deu um blend daqueles com a da Rebeca. O vocal de fundo, na maioria do disco a cargo da dupla Daniela Araújo e Felipe Valente traz a marca do bom arranjo e, de novo, da economia.

O disco fecha com um reprise de Eu Tenho Algo arranjado por Jessé (que também arranjou “Pororó” e “Morto ou Vivo”) e é uma gordura só.

A já mencionada mixagem de Fernando Menezes é coisa de primeiro mundo e prova que está cada vez mais desnecessário sair do Brasil atrás de expertise nessa área e a Masterização é do Luciano Vassão, que se eu continuar elogiando aqui vai parecer coisa arranjada, mas é, como sempre, digna de nota.

O disco vem em digipack que eu particularmente gosto muito por causa da coisa táctil: me lembra a época que eu comprava vinil... A arte do disco é de Lucas Motta (olho nesse menino!) e tem como assistente de fotografia a melhor cantora do Brasil na atualidade. Enfim, o disco é ótimo e conta com uma equipe de gente boa contribuindo que garante sucesso de público e crítica!

P.S.: Este artigo contou com a consultoria especializada de Giulia e Giovana. Duas priminhas gêmeas de 4 anos que, quando perguntadas sobre qual é a faixa preferida respondem em alto e bom som: “TODAS!”

Por Jonas Paulo


Compre o CD Sou livre na loja virtual Gospel Goods

Atenção: As análises são escritas por usuários colaboradores do Super Gospel, e descrevem suas opiniões pessoais. Os comentários e observações não necessariamente refletem as opiniões do site.

Seja social :)

 

Deixe o seu comentário


Siga-nos no twitter

Fique ligado em música gospel: @supergospel

Conheça os lançamentos e promoções: facebook.com/gospelgoods (Loja virtual Gospel Goods)



Conteúdo Top





Parceiro

O Super Gospel, o portal da música gospel, é patrocinado pela loja virtual Gospel Goods
Loja virtual Gospel Goods
Copyright - 2001 - 2018 Supergospel. Todos os direitos reservados.