Twitter do SuperGospel Facebook do SuperGospel

Matérias em destaque



Análise

DVD You Are My World
(Hillsong Worship)

Jonatha Cardoso em 25/12/2011
Para o Super Gospel
You Are My World

Compre este DVD agora

Faixas:
1. Everything That Has Breath
2. God Is Great
3. All Of My Days
4. Emmanuel
5. You Stand Alone
6. Irresistible
7. You Are My World
8. Your Love Is Beautiful
9. Glorious
10. God So Loved
11. To You
12. Worthy Is The Lamb
13. Forever
14. My Best Friend
15. You Are My World (Reprise)
16. God Is Great (Reprise)
Com produção de Brian Houston, Bobber Houston e Mark Zschech, You are my world é o décimo álbum videográfico lançado pelo ministério australiano. Sob a direção de Dennis Murphy, ele foi gravado em 25 de fevereiro de 2001, no Sydney Entertainment Centre.

Há muito tempo, desde que escrevo as minhas análises de CDs aqui para vocês, tenho vontade de escrever uma análise de um DVD – sabe-se que exige muito mais cuidado e dedicação, pois não se analisa apenas o conteúdo musical, mas também visual.

Todos sabem que tenho paixão pelos clássicos da Hillsong Austrália. Todos são dotados de qualidade ímpar, além da essência maravilhosa que as canções possuem. Entretanto, sempre disse e sempre direi que You are my world é o melhor álbum de todos os do ministério, seja no aspecto “qualidade das músicas”, “arranjos”, “cenografia”, entre muitos outros. Por isso, tinha curiosidade de ver como seria o DVD. Será que é tão bom quanto o álbum?

Minhas opiniões vocês verão a seguir:

O DVD inicia com uma narrativa muito linda da letra da faixa-título, You are my world. Durante a narração, que possui ao fundo o instrumental da canção, cenas de pessoas exercendo atividades aparecem ao longo, de forma que possamos entender que Deus tem que ser o nosso mundo, ou seja, aquele que está acima de todas as coisas. Termina com um momento mais soft do coro da música. Ótimo!

A primeira impressão que vemos do cenário é altamente positiva. Como o centro possui aproximadamente lugares para 13.000 pessoas, estimo que, pela imagem, o número é bem superior a isto. A iluminação é impecável, usando mais os tons de azul e rosa ao longo das canções. O palco também é destaque, pois ele é o maior de todas as edições até então gravadas – nem mesmo o grande palco do Hills Entertainment Centre é maior que este. Um grande coral ao fundo, tendo os músicos a frente, muito bem distribuídos, e os vocalistas na frente.

Antes de tudo, quero salientar que é comum da Hillsong gravar o CD em seqüência diferente das canções gravadas ao vivo. Se você ouvir o CD, vai notar isto.

Começamos com a empolgante Everything that has breath, de Reuben Morgan, ministrada por Darlene. Conduzida muito bem pela bateria de Luke Munns. Com Reuben Morgan e, principalmente, Marty Sampson, começamos a ver os primeiros traços do estilo atual do Hillsong e, também, no Hillsong United. A música é animadíssima, e o refrão é fácil de pegar: “Let everything that has breath, praise the Lord forever; let everything in my soul, praise the Lord”. Excelente exemplo de canção rápida com metais. No final da canção, um momento em que todos cantam “From the rising of the Sun, let his praise be heard; from the east to the West, and the north to south”.

Prosseguimos com a também empolgante God is great, de Marty Sampson, ministrada por ele mesmo. Destaques para a guitarra do sempre excelente David Moyse. Música interessante, que mescla momentos calmos com o peso do pop rock, característico do United. Destaque para o verso: “Holy is the Lord, The whole Earth sings, the whole Earth sings”, que é inclusive cantada no final do DVD.

Sem dúvida, o que mais eu adoro nesse CD são as canções de adoração – sem dúvida, incomparáveis. Não há nenhuma que não seja excepcional, fantástica.

Primeiro, temos All of my days, de Mark Stevens, ministrada por ele. Belas participações dos violões e também do belíssimo coral. Consegue ser forte nos arranjos, sem perder a temática da adoração. A voz de Mark é excepcional, sem dúvidas. A letra sem dúvida é belíssima, nos remetendo à vivermos o evangelho e o amor de Cristo todos os dias da nossa vida.

Os violões conduzem a formidável Emmannuel, de Raymond Badham, ministrada por Darlene. Gosto muito da participação da percussão nesta canção. Mas o coral... meu Deus, é divino! A parte em que todos cantam “Emmannuel” é simplesmente de arrepiar. Os arranjos são excepcionais, e a presença de Deus é facilmente sentida! Destaque para a condução dos violões – providenciais.

Um lindo dueto de Mark Stevens e Steve McPherson, autores da música, conduzem You stand alone. Conduzida pelo teclado de Russel Fragar e pelo violão, é uma canção que marca pela combinação perfeita das vozes, aliada a uma letra que fala do nosso desejo pelo Senhor – o único em nossas vidas. Mais do que uma canção de adoração, é uma canção de entrega!

Irresistible, de Darlene, é ministrada por ela. Conduzida pelo teclado e violão, é uma música também excelente. O arranjo das vozes é excelente. Gosto do jogo de acordes ao longo da canção – diferente de muitas por aí, eles se encaixam muito bem. O solo de violão de Nigel Hendroff é ótimo. Canção que também mescla momentos mais soft, com outros mais hard, sem perder a essência do estilo de adoração.

O auge do CD chega com You are my world, criada e conduzida por Marty Sampson. A letra é simplesmente maravilhosa: “You are my world, you are my God, and I lay down my life for you; You are my Lord, the one I love; no one could ever take your place”. Sem dúvida, nessa música se reúne o que há de melhor em relação à arranjos e vozes. Embora não seja a minha favorita, é, sem dúvida, a música que merecia ser a faixa-título.

Começamos a segunda parte com Your love is beautiful, criada pelo quarteto Raymond Badham, Reuben Morgan, Nigel Hendroff e Steve McPherson. Na base da guitarra, ela é, sem dúvida, a mais animada do disco. Uma união de um impecável arranjo das vozes e do coral, aliado a música sensacional, seja pelos metais, pelas cordas, ou pela percussão, nos faz, sem dúvida, nos balançar, querer dançar e sair do chão! Detalhe para a excepcional "batucada" feita no meio da música. E com direito a reprise no final! SENSACIONAL!

Darlene é a autora da minha favorita – que, curiosamente, não está no álbum. É a canção Glorious. É uma canção meio-termo – nem rápida, nem lenta. A letra é lindíssima, e os metais ao longo da canção dão um toque ótimo. O jogo de acordes ao longo da canção também é bem legal. Lamento profundamente ela não estar no CD, pois merecia!

Outra bela canção é God so loved, de Reuben Morgan. Conduzida pelo violão e pela guitarra, possui uma conotação mais suave no disco. Pelo contrário, a letra possui uma essência bem forte – fala de Deus que nos entregou seu único filho para morrer, mas que ressuscitou. Percebe-se bem a mescla do ministério: há tanto músicas de adoração com estilo mais forte, como algumas com estilo mais suave. Destaque para a bateria, muito bem conduzida!

To you é outra excelente música de adoração. De Darlene, é daquelas músicas que tu ouve e se quebranta na presença de Deus. Acho que é a melhor letra de todo o álbum. Aliás, acho que, junto da faixa-título, é a melhor do álbum. O conjunto da percussão, guitarras e teclados, complementando-se com a voz, monta em algo raramente visto na música. Saliento que é uma das únicas que não possui os metais.

A famosa versão de Aline Barros é a próxima. Worthy is the Lamb, de autoria de Darlene, é minsitrada por Miriam Webster. Conduzida pelo piano de Fragar, a voz de Miriam é excelente, e combina perfeitamente com a música, como um todo. Quem conhece a letra em português, sabe que ela é linda – o mesmo com a versão original. Nessa música, as vozes estão mais suaves.

Mark Stevens minsitra a última canção da fase dele na Hillsong (ele entrou em 1998 e no ano seguinte se mudaria para a Inglaterra). Forever, de autoria de Marty Sampson. Achei interessante o uso de duas escalas na música – uma pro coro e a outra pra estrofe. Conduzida pelas cordas, mostra uma suavidade na voz de Mark, que nem sempre é vista. Gosto também dos backings e do coral. Ótima música.

Pra encerrar as músicas, temos a famosa Best friend, de Joel Houston e Marty Sampson. É carregada de Hillsong United, não só na bateria como também nas cordas. É uma canção animada, bem estilo de jovens. Com direito a coral de jovens e a dançarinas. Ministrada por Marty Sampson, é um momento final de louvor ao Senhor. Aliás, devo salientar que muitas das músicas cantadas no início do United são músicas que primeiro foram cantadas no grupo principal.

Em seguida, após uma ministração linda de Darlene Zschech, onde todos vão para a frente do palco, temos o prazer de ver todos cantando, na base do violão e teclado, novamente a canção You are my world. É pra fechar com chave de ouro, todos cantam o coro da canção God is great.

Gente, esse DVD é sensacional. Tão maravilhoso quanto o álbum!

Vale a pena comprar e assistir!

E pra completar, vale a pena assistir aos extras (Special Features), com entrevistas com o produtor Mark Zschech, Darlene Zschech, Pr. Brian Houston, Steve McPherson, Marty Sampson, Karen Hammond, Ruth Athanasio, Peter King, Scott Haslem, Reuben Morgan, entre outros, além dos bastidores dos ensaios e montagem do cenário.

Deus te abençoe!

@jonathacardoso


Compre o DVD You Are My World na loja virtual Gospel Goods

Atenção: As análises são escritas por usuários colaboradores do Super Gospel, e descrevem suas opiniões pessoais. Os comentários e observações não necessariamente refletem as opiniões do site.

Seja social :)

 

Deixe o seu comentário


Siga-nos no twitter

Fique ligado em música gospel: @supergospel

Conheça os lançamentos e promoções: facebook.com/gospelgoods (Loja virtual Gospel Goods)



Conteúdo Top





Parceiro

O Super Gospel, o portal da música gospel, é patrocinado pela loja virtual Gospel Goods
Loja virtual Gospel Goods
Copyright - 2001 - 2018 Supergospel. Todos os direitos reservados.